Tecnologias da Informação em Portugal

we-are-among-200-biggest-information-technology-co

we-are-among-200-biggest-information-technology-coVários artigos informativos em sites de tecnologia noticiam desde o início do ano um crescimento de 2,6% para o mercado das tecnologias da informação em Portugal, em 2016, com base nas previsões lançadas pelo IDC Predictions, em Lisboa. De acordo com esta fonte, o volume de negócios deste mercado irá ultrapassar os 4,1 mil milhões de euros, numa tendência contrária ao mercado dos Serviços das Telecomunicações, que apresenta sinais de recuo.

Estas previsões têm por base uma pesquisa internacional levada a cabo por mais de 1000 analistas, que publicam mais de 5000 documentos anuais, e na pesquisa nacional, fundamentada em 3000 inquéritos feitos a decisores nacionais, em análises a mais de 1000 relatórios de contas e a 500 fornecedores de TI em Portugal, tal como no feedback de vários conselhos consultivos nacionais.

As alterações que o IDC FutureScape apresenta como as mais significativas para o período dos próximos 12-36 meses, com impacto tal que poderão redefinir a liderança de mercado nos próximos anos, são:

  • Transformação digital: No final de 2017, a maioria dos CEO abraçará a transformação digital como núcleo da sua estratégia corporativa;
  • 3.ª Plataforma de TI: Em 2018, acima de 50% da despesa em tecnologias da informação estará relacionada com tecnologias e serviços de 3.ª Plataforma;
  • Cloud no centro: Em 2019, os serviços cloud serão responsáveis por mais de metade das despesas em TI;
  • Capacidade de inovação: Em 2018, as organizações com estratégias digitais promoverão a sua capacidade de desenvolvimento de software;
  • Pipelines de dados: Em 2018, a maioria das organizações começará projetos com dados externos;
  • Periferia inteligente: Em 2018, existirão mais de 30 milhões de equipamentos IoT no território nacional;
  • Tudo cognitivo: Em 2016, 20% das organizações iniciarão pilotos com sistemas cognitivos;
  • Plataformas e serviços cloud: Em 2018, a administração pública e a banca serão líderes da criação de plataformas setoriais;
  • Intimidade com clientes com escala: Em 2016, grande parte das organizações B2C iniciará projetos omnicanal;
  • Realinhamento de parceiros e fornecedores: Em 2020, mais de 30% dos fornecedores de TI terão alterado a sua configuração.