Portugal Bem Classificado como Prestador de Serviços Baseados na Tecnologia

Cloud-Computing-DubaiPelo quinto ano consecutivo, Portugal foi posicionado, em 2015, entre os sete países que prestam melhores serviços de base tecnológica, numa lista criada pela Gartner, Inc. Fundada em 1979, esta empresa desenvolve pesquisas sobre tecnologias da informação, divulgando novas perspetivas na área. Com sede em Stanford, Connecticut, os seus clientes incluem grandes corporações, agências governamentais, empresas tecnológicas e comunidades de investimento. A Gartner, Inc. conta com mais de 5300 funcionários em 85 países, o que comprova a sua relevância na arena da tecnologia.

De acordo com o seu último estudo (“Gartner’s Leading Offshore Services Locations in ENEA 2015: Nearshore Increases Despite Geopolitical Concerns”), Portugal consegue uma boa classificação entre os países de topo na prestação de serviços tecnológicos, em que se destacam a República da Irlanda, Israel, a Irlanda do Norte, a Escócia, a Espanha e o País de Gales. Analisando o modo como os diferentes países da Europa, do Médio Oriente e da África se posicionam como prestadores de serviços baseados em tecnologias de outsourcing, o estudo divulga que os fatores que garantem a Portugal uma posição cimeira na lista de países que aparecem como principais destinos de outsourcing de alta tecnologia compreendem: a disponibilidade, a qualidade e maturidade de recursos, de infraestruturas e o seu ambiente negocial, além da estabilidade política.

De acordo com o estudo da Gartner, Inc., esta situação resulta de um investimento em educação, da modernização de infraestruturas, da simplificação de serviços públicos e de uma concentração na pesquisa e no desenvolvimento, nas esferas pública e privada, além das competências linguísticas dos portugueses e de uma capacidade inata para trabalhar em ambientes multiculturais transfronteiriços.

Acrescentaríamos que os portugueses têm entre as suas qualidades uma capacidade inventiva e de aproveitamento de recursos que poderá levar o país a grandes feitos, caso o investimento económico seja direcionado para a educação científica, algo a que ainda é necessário dar prioridade.