O Uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação pelos Professores Portugueses

2BEZdwV

2BEZdwVUm estudo europeu sobre criatividade e inovação nas escolas, realizado em 2009 e apresentado numa conferência em Estocolmo, revela que 94% dos professores veem estas competências como fundamentais, com as TIC como importante dinamizador. 80% dos professores afirmam considerar bastante relevantes instrumentos como computadores, software educativo, vídeo e ferramentas colaborativas online, sendo daqueles que lhes atribuem mais importância, no contexto europeu.

No entanto, verifica-se um desfasamento entre as ideias que os professores expõem sobre a criatividade e a sua aplicação prática, o que pode ser comprovado com dados empíricos mais recentes, como os da pesquisa TALIS (Teaching and Learning International Survey), de 2013, que mostra que apenas 34,4% dos professores portugueses utilizam as TIC para projetos com alunos ou trabalhos com as turmas, com 49,1% a fazer formação na área, percentagens que se encontram próximas da média da UE.

É caso para perguntar qual o motivo da dificuldade de integração das TIC em contexto de sala de aula, tanto que a esmagadora maioria dos alunos utiliza computador e Internet, estando familiarizada com as novas tecnologias. Apesar do papel das TIC nas escolas portuguesas ter passado por bastantes mudanças nos últimos anos, estudos encomendados pelo próprio Ministério da Educação para conhecer a utilização das TIC em contexto educativo concluem que elas são usadas sobretudo para preparar aulas e não para interagir com os alunos em sala de aula, sendo os próprios professores a reconhecer que carecem de novas competências e de informação sobre as vantagens pedagógicas das TIC.

A tendência revela a prevalência do fator lúdico na inserção das TIC no ensino escolar, o que acaba por trazer poucas alterações às práticas pedagógicas. Assim, apesar do aumento na investigação em tecnologia educativa, decorrente da sua crescente importância na sociedade, e do aumento na própria utilização que os professores fazem das TIC, existe uma utilização reduzida no que respeita à interação direta com os alunos, na criação de ambientes de aprendizagem construtivistas, o que nos permite concluir, seguindo Maria da Graça Girão Salgueiro, em “Um olhar sobre as TIC no ensino do Português”, que a prática pedagógica não tem sofrido alterações significativas.